sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Anti-sionismo? Intelectual saudita diz que os muçulmanos não devem temer os judeus pois Alá os descreve como "covardes"

Um destacado estudioso da Arábia Saudita, Abdul Aziz al-Tarifi, twittou a seguinte mensagem ontem:


لا تنتصر الأمة وهي تخاف اليهود، لأن الله وصفهم بالجبن، ومن خافهم فهو من غيرهم أخوف (لا يقاتلونكم جميعا إلا في قرى محصنة أو من وراء جدر)
— عبدالعزيز الطريفي 
A umma (nação islâmica) não será vitoriosa enquanto tiver medo dos judeus, porque Alá os descreveu como covardes, e quem tem medo deles tem ainda mais medo dos outros. [Como diz o Corão]: "Eles não vão combater vocês, exceto em cidades fortificadas ou detrás de muralhas." 

Atualização: 
O twitter apagou a conta de Abdul Aziz al-Tarifi, mas a sua conta no Facebook continua ativa e publicando a mesma mensagem:



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Mahmoud Abbas declara que judeus devem ser impedidos de entrar no Monte do Templo "de qualquer maneira" e terrorista do Fatah atira em rabino que defende o direito de visitar o local

No dia 18 de outubro, Mahmoud Abbas, o presidente da Autoridade Palestina e líder do Fatah, declarou que os judeus não têm direito de visitar o Monte do Templo (local mais sagrado para a religião) e que eles devem ser impedidos de entrar "de qualquer maneira". 

Ontem, Yehuda Glick, um rabino que defende o direito de visitar e rezar no local, foi atingido por 4 tiros disparados por um terrorista árabe quando saía de uma palestra sobre o assunto. 

ودعا الرئيس أبناء الشعب الفلسطيني للدفاع عن المسجد الأقصى، وقال: مطلوب أن نكون كلنا مرابطين في الأقصى، ولا يكفي أن نقول جاء المستوطنون، بل يجب منعهم من دخول الحرم بأي طريقة كانت، فهذا حرمنا وأقصانا وكنيستنا لا يحق لهم دخولها وتدنيسها.
O presidente convocou os palestinos para defender a mesquita de Al-Aqsa [...]: "Não é o bastante dizer que os colonos (judeus) vieram, eles devem ser impedidos de entrar de qualquer maneira [...] eles não têm o direito de ir lá e profanar [o local].” 

O terrorista responsável pelo atentado, Moataz Ibrahim Hijazi, foi morto pela polícia israelense. Ele era membro do Fatah, do "moderado" Mahmoud Abbas. 
O grupo produziu diversos posteres louvando o terrorista, chamando-o de "herói" e de "mártir", além de ter divulgado um comunicado em seu site oficial:
"Os crentes são homens verdadeiros em sua aliança com Alá; Alguns morreram e alguns deles estão esperando pelo mesmo caminho."
Nós estamos orgulhosamente de luto pelo mártir herói. Shahid [mártir] em Jerusalém, filho da Palestina. E o filho do Fatah Moataz Ibrahim Hijazi .


Moataz Ibrahim Hijazi trabalhava no restaurante israelense Terasa, que fica praticamente no mesmo local que o centro onde a palestra com o rabino estava sendo realizada. 
O sobrenome Hejazi mostra que a família do terrorista é originalmente da Arábia Saudita, da região de Hejaz.  

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Crazy Water Park, o parque aquático oficial do 'campo de concentração' de Gaza

Video promocional do parque aquático de Gaza, Crazy Water Park

Alguns meses após sua inauguração o parque foi interditado pelo Hamas, pois permitia que homens e mulheres entrassem em suas piscinas ao mesmo tempo, o que contraria a lei islâmica. Logo depois ele foi incendiado por 40 homens mascarados.



Jornal egípcio mostra a vida de luxo na Faixa de Gaza.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Página oficial do Fatah chama homem que matou jovem equatoriana e bebê de 3 meses de idade de "mártir santo"

A página oficial do "moderado" Fatah de Mahmoud Abbas chama homem que atropelou oito inocentes em um ponto de trem (matando um bebê de 3 meses de idade e uma jovem estudante equatoriana de 22) de "mártir santo":


"القدس تُشيع الشهيد عبد الرحمن الشلودي"

Egito fecha a fronteira e bloqueia a Faixa de Gaza e o presidente da Autoridade Palestina elogia a ação

Do Palestine Press (فلسطين برس):

أعلنت السلطات المصرية أنها قررت إغلاق معبر رفح البري اعتبارا من صباح اليوم السبت، في اعقاب إعلان مجلس الدفاع الوطني برئاسة عبد الفتاح السيسي رئيس الجمهورية، حالة الطوارئ بعدة مناطق في محافظة شمال سيناء، ولمدة ثلاثة أشهر. 
Autoridades egípcias anunciaram a decisão de fechar a passagem de Rafah (fronteira entre o Sinai e Gaza) a partir da manhã de sábado, após o Conselho de Defesa Nacional liderado pelo presidente da república, Abdel Fattah al-Sisi, declarar estado de emergência em várias áreas no norte do Sinai por um período de três meses.

A ação, de acordo com outra notícia do Palestine Press, foi justificada com base na ameaça terrorista vinda de Gaza:


وكان السيسي اعلن في كلمة وجهها ظهر اليوم للشعب المصري ان إجراءات جديدة سيتم البدء بها على الحدود مع قطاع غزة لـ"مواجهة الإرهاب".
[O presidente] al-Sisi anunciou em um discurso para o povo egípcio esta tarde que "os novos procedimentos serão iniciados na fronteira com a Faixa de Gaza para enfrentar o terrorismo". 

E o que tem a dizer o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas (que está no décimo ano de seu mandato de 4 anos)? 


O Palestine Today (فلسطين اليوم) informa que ele apóia o bloqueio:

وقال الرئيس إننا نقف الى جانب مصر قيادة وحكومة وشعباً، وندعم كل الاجراءات التي ستتخذها القيادة المصرية من اجل الحفاظ على الامن والاستقرار في مصر، ومواجهة الارهاب في سيناء والاراضي المصرية كافة، لما في ذلك من خدمة للقضية الفلسطينية والامن القومي العربي.
"Estamos [solidários] com a liderança, o governo e o povo do Egito, e apoiamos todas as medidas a serem tomadas pela liderança do país, a fim de manter a segurança e a estabilidade no Egito, em face do terrorismo no Sinai e em todos os territórios egípcios, pela causa palestina e a segurança nacional árabe ".

Abbas ainda foi mais longe, elogiando a "postura corajosa" do presidente egípcio "diante do terrorismo":

واشاد الرئيس، بالموقف المصري الشجاع في مواجهة الارهاب، مؤكدا سيادته ثقته الكبيرة بان مصر الدولة سوف تتغلب على الصعاب ،وسوف تستمر بطريق البناء والاستقرار والحفاظ على مستقبل مصر والامة العربية.


sábado, 25 de outubro de 2014

Refugiado cristão do Iraque: os muçulmanos apoiam o Estado Islâmico e nos expulsaram do país

Depoimento exibido no canal LBC/LDC (Líbano), no dia 30 de julho de 2014




Deixamos Mossul porque o Estado Islâmico foi para a cidade. O povo (os muçulmanos sunitas) de Mossul abraçou o Estado Islâmico e expulsou os cristãos da cidade.

Quando o Estado Islâmico entrou em Mossul, o povo o saudou e expulsou os cristãos. Por que eles só expulsaram os cristãos de Mossul? Há muitas seitas [religiosas] em Mossul. Por que só [expulsaram] os cristãos?

Isso não é novidade. Mesmo antigamente, os cristãos não podiam ir a qualquer lugar. Os cristãos enfrentavam ameaças de assassinato, sequestro e de Jizya (imposto que os muçulmanos cobram de crentes de outras religiões). Isso não é novidade.

Disseram que eu tinha que deixar Mossul. Eles disseram que esse (o Iraque) é um país muçulmano, e não cristão.

Estou sendo muito sincero. Eles disseram que essa terra pertence ao islã e que os cristãos não devem viver lá.

Pergunta: Quem te disse isso?

As pessoas que abraçaram o Estado Islâmico, as pessoas que viviam conosco...

Pergunta: Seus vizinhos?

Sim, meus vizinhos.
Nossos vizinhos e outras pessoas nos ameaçaram. Eles disseram: "Fujam antes que o Estado Islâmico pegue vocês." O que isso quer dizer? Para onde iríamos?

Os cristãos não têm nenhum apoio no Iraque. Quem quer que diga que está protegendo os cristãos é um mentiroso. Um mentiroso!

  

Mãe de uma criança terrorista diz que desejava que outro de seus filhos tivesse se matado

Entrevista com uma árabe-palestina mãe de um terrorista suicida de 15 anos. Ela diz que teria sido melhor se outro de seus filhos tivesse se suicidado.

Entrevista exibida no canal oficial da Autoridade Palestina (Fatah), no dia 6 de junho de 2004



Fico triste e feliz com ele. Quero dizer... ele sempre gostou da Shahada (martírio). Todas as crianças de sua idade gostam.

Ele sempre cuidou de mim. Eu teria preferido que um de seus outros irmãos tivesse alançado a Shahada ao invés dele, porque ele era a alegria da minha vida.

Hamas: Vamos conquistar países cristãos para salvá-los do inferno

Exibido no canal al-Aqsa (Gaza/Hamas), no dia 11 de abril de 2008


Em breve, se Alá quiser, Roma será conquistada, assim como Constantinopla foi conquistada. 
[A conquista] se espalhará por toda a Europa, e então ela se voltará para as duas Américas e até para a Europa oriental, nesta missão de salvação da humanidade do fogo [do inferno] do qual ela está a beira agora.

Hamas lança míssil de centro de imprensa e usa jornalistas como escudos humanos

O vídeo abaixo mostra Hanan al-Masri, apresentadora do canal al-Arabiya, que não sabia que estava sendo filmada. Ela conta ao telefone que um míssil foi lançado pelo Hamas do prédio de imprensa onde ela está localizada, na Faixa de Gaza. 



Nós temos quatro janelas... o quê? Um míssil foi lançado do prédio? Daqui? 
Foi lançado daqui. Não! Foi lançado embaixo de nosso prédio.

Quantos? O míssil que foi lançado daqui foi um "Grad"? 
O míssil foi lançado agora! Parece que foi lançado debaixo do edifício. 

Fez um barulho muito alto. Eu pensei que tivesse sido um ataque aéreo [israelense], mas foi um míssil [do Hamas].
Eles o lançaram daqui do nosso prédio.

Jornal El País traz video com militantes do Hamas arrastando pelas ruas acusados de "colaborar" com Israel

O jornal espanhol El País publicou um video gravado nas ruas de Gaza que mostra como o Hamas pune aqueles que desobedecem o grupo islamita: arrastando-os pelas ruas. 

A acusação formal foi a de "colaboração com Israel", mas é fato notório que o grupo usa acusações de "colaboração" para executar livremente opositores -- sejam eles do Fatah ou outros membros do Hamas -- e críticos do regime.  

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Arcebispo de Mossul: Árabes são invasores no Iraque e retribuem a ajuda cristã com opressão

O arcebispo ortodoxo de Mossul (Iraque), Nikodimos Daoud, concede entrevista ao canal Mayadeen (Líbano). 
Exibido em 18 de agosto de 2014 



Nós não temos nem facas! Nós não temos nem facas!
Como podemos nos defender se não temos nenhum tipo de arma?

Quando aqueles "takfiristas" [do Estado Islâmico] vierem te pegar... Eles rejeitam os outros e dizem que eles querem morrer, a fim de obter suas 72 virgens e rapazes eternos. 
Nós não temos esses tipos de idéias. Temos canetas, papel, cultura e conhecimento. Não temos com o que lutar.

Um cristão não pode viver  onde a lei não prevalece. Nós só  podemos viver em um  local regido  pela lei. Não podemos viver onde não há lei para nos proteger e garantir nossos direitos, porque não temos armas.

Não fomos criados por nossa religião, sociedade e família na cultura do sangue, da matança e da pilhagem. Não temos este tipo de cultura, vocês têm que entender isso. Os outros têm esta cultura.
Agora temos que nos defender destes animais. Eles são animais. Não somos animais. Nós representamos a verdadeira humanidade. Nós não sabemos chacinar, não sabemos matar. Tudo o que sabemos é escrever e incutir cultura naqueles ao nosso redor, assim como incutimos cultura nos árabes e muçulmanos no passado, quando eles vieram aqui como conquistadores...

Não sei se deveríamos chamá-las de conquistas ou de invasões...
Quando eles entraram em nossas terras, nós -- os cristãos siríacos em particular -- incutimos cultura neles.
A história vai nos amaldiçoar por educá-los e por traduzir livros para eles. Nós temos incutido cultura neles até os dias de hoje, mas eles nos traíram em troco de nada.

Os países  pelos quais estávamos dispostos a morrer nos cuspiram. Eu vivia na Austrália, mas voltei porque sentia falta de Mossul, mas a Mossul que me fazia falta me expulsou, me humilhou, e danificou a minha honra e a honra da minha congregação. 

O que sobrou do meu amor por esta terra? Digo isso com lágrimas em meus olhos.
Por que viemos para o Curdistão? Viemos por apenas um motivo: porque há lei aqui.
Vocês têm que entender que não tem lei no Iraque há dez anos. Bagdá é controlada por máfias: pilhagem, saque, opressão, milícias e sectarismo...

E tudo isso é resultado das políticas equivocadas dos EUA e do Ocidente. Quando o mal ocidental se funde com a estupidez árabe, nações morrem. Então aqui estamos nós, morrendo diante dos olhos do mundo.

Nunca aceitaremos viver como Dhimmis, como eu já disse várias vezes. O Dhimmi é um escravo. Nós não somos e nunca aceitaremos ser Dhimmis. Quem quer que aceite ser um Dhimmi estaria melhor morto. Não queremos ser Dhimmis de ninguém. Deus nos fez livres, e livres morreremos.


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Membro do moderado Fatah e aliado de Mahmoud Abbas mente sobre a morte do terrorista que matou criança de 3 meses e o chama de "herói"

Em sua página pessoal no Facebook, Sultan Abu-Einen saudou "o mártir heróico, Abed El-Rahman Idriss al-Shaludi". O motivo? o ato "heróico" de atropelar 8 civis em um ponto de trem, matando um bebê de 3 meses de idade e deixando uma adolescente equatoriana em estado crítico.


البطل الشهيد عبد الرحمن إدريس الشلودي (23 عام)، أفرج عنه من الأسر بتاريخ 22/12/2013 بعد أن أمضى مدة 16 شهرا داخل سجون الإحتلال و أفرج عنه من سجن النقب الصحراوي، و بعد عدة أشهر إعتقل مرة أخرى من منزله في حي البستان المهدد بالهدم، وقد إعتدت قوات الإحتلال عليه لحظة إعتقاله بالضرب المبرح و إعتدت على جدته المسنه و إعتقلت والده، ومكث ثلاثة أسابيع في زنازين سجن المسكوبية...وفي الصورة التالية الحظات الاخيرة قبل استشهادة جراء اطلاق النار عليه من مسافة قريبة ويقتل بدم بارد.....

"O mártir heróico Abd al-Rahman Idris al-Shaloudi (23), foi libertado da prisão em 12 de dezembro de 2013, depois de cumprir 16 meses nas prisões da ocupação. Ele foi libertado da prisão deserto do Negev, e foi preso novamente alguns meses mais tarde, em sua casa no bairro de al-Bustan, que está em perigo de ser demolida. Durante sua detenção, as forças de ocupação o espancaram de forma agressiva, atacaram sua avó e prenderam seu pai. Ele passou três semanas nas celas do Complexo Russo. A imagem abaixo [mostra] os últimos momentos antes de sua morte como um mártir, depois que ele foi baleado à queima-roupa. Ele foi assassinado a sangue frio. "

A verdade é que al-Shaludi foi preso diversas vezes por praticar atos terroristas contra judeus -- apedrejando-os, jogando coquetéis molotov e por aí vai -- e, apesar disso, era sempre condenado a ficar apenas meses ou semanas na cadeia. 
Não há nenhuma prova de que ele ou sua avó tenham sido agredidos e ele não foi executado. Ele foi alvejado quando tentava fugir depois do local onde cometeu o ataque terrorista. Ele foi capturado e retirado ainda com vida e morreu horas depois, em consequência dos ferimentos. O video abaixo mostra que ele estava vivo e que não foi "assassinado a sangue frio":

Terrorista atropela oito pessoas e mata um bebê de 3 meses em estação de trem; "moderado" Fatah glorifica a ação e o terrorista

O terrorista Abdel Rahman al-Shaludi, que atropelou ontem 8 pessoas em uma estação de trem em Jerusalé-- matando um bebê de três meses e deixando uma jovem estudante equatoriana em estado crítico -- foi homeageado na página oficial do "moderado" Fatah da Autoridade Palestina por seu "ato heróico" (حركة التحرير الوطني الفلسطيني "فتح" / الصفحة المركزية):

O Movimento de Libertação Nacional da Palestina (Fatah) acompanha ao seu casamento o heróico mártir Abd Al-Rahman Al-Shaloudi, que realizou a operação de Jerusalém na qual colonos na cidade ocupada de Jerusalém foram atropelados. 

Descanse em paz, somos leais a você.  

Quando o Fatah fala que o acompanha ao "seu casamento", é porque o "mártir heróico" receberá suas 72 virgens no paraíso...   

Há ainda um versículo do Corão no topo do poster que diz: "e nunca pense naqueles que caíram pela causa de Alá como mortos. Em vez disso, eles estão vivos com o seu Senhor, recebendo provisões... Surata 3: 169

Uma das vítimas do "mártir herói": Chaya Zisel Braun, minutos antes de morrer:

O terrorista tinha um longo histórico de ações violentas contra judeus.

Atualização:

Karen Mosquera, a estudante equatoriana que estava em estado crítico também faleceu. 

Karen Mosquera (esquerda)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Atriz síria diz que continuarão a odiar Israel mesmo depois de um acordo de paz

Entrevista com a atriz Amal 'Arafa no canal al-Hiwar (Reino Unido), exibida no dia 4 de outubro de 2008


Entrevistadora: Se as circunstâncias políticas mudarem, o que irá acontecer?

Amal 'Arafa: As políticas podem mudar, mas há algo que já está nos meus genes.
Fomos criados para odiar Israel. Está nos nossos genes.

Se os países árabes tomarem decisões políticas, se houver paz... e por aí vai... Antes de tudo, quem seria contra a paz? Eu não sou contra a paz.

Mas na minha opinião, Israel continuará a ser um ponto negro, escuro e sombrio em minha memória, em meus genes e em meu sangue.

Apesar de eu ser síria, e não uma palestina, a criação síria que recebemos -- e na qual vivemos -- fomos amementados com isso junto com o leite de nossas mães.

Não é brincadeira, está nos nossos genes e nós vamos transmitir isso por muitas gerações.

Advogada egípcia: árabes devem abusar sexualmente de mulheres israelenses como uma "forma de resistência"

Entrevista exibida no canal al-Arabiya (Arábia Saudita/Dubai) em 31 de outubro de 2008



Apresentador: A advogada egípcia Najla al-Imam propôs que jovens árabes devem assediar sexualmente garotas israelenses, onde quer que elas estejam e usando qualquer método possível, como uma nova forma de resistência contra Israel.

Conosco está a advogada Najla al-Imam, do Cairo. Bem vinda. 
Qual é o propósito desta proposta?

Najla al-Imam: É uma forma de resistência.
Na minha opinião elas são um alvo fácil para todos os árabes, e não há nada de errado...

Apresentador: Baseado em quê?

Najla: Primeiramente, eles violam nossos direitos e estupram a terra. Poucas coisas são tão sérias quanto o "estupro da terra". Na minha opinião, esta é uma nova forma de resistência.

Apresentador: Como uma advogada, você não acha que isso poderia expor os jovens árabes a punições por violação de leis contra assédio sexual?

Najla: A maioria dos países árabes, com a exceção de três ou quatro países que eu não acho que permitem a entrada de mulheres israelenses de qualquer maneira... a maioria dos países árabes não tem leis contra assédio sexual.

Portanto, se [as mulheres árabes] são um alvo fácil para os homens árabes, não há nada de errado em considerar mulheres israelenses como um alvo fácil também.  

Apresentador: Isso inclui estupro?

Najla: Não. Assédio sexual.
Na minha opinião, [as mulheres israelenses] não têm nenhum direito de reagir. Os combatentes da resistência não começariam tais ações, porque seus valores morais são muito mais elevados do que isso.  No entanto, se algo do tipo acontecesse com eles, [as mulheres israelenses] não têm direito de exigir nada, porque isso nos colocaria em igualdade de condições: abandone a terra e não te estupraremos. Ambas as coisas são iguais.

Eu não quero que os jovens árabes sejam interrogados. Quero que essas garotas sionistas com passaportes israelenses sejam expulsas de nossos países árabes. 

Essa é uma forma de resistência e um jeito de rejeitar a presença deles.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Educando crianças na Arábia Saudita

"Entrevista" com uma pequena criança de "3 anos e meio" exibida no canal IQRA, da Arábia Saudita, em maio de 2002.
A menina é filha da artista Wagdi al-Arabi.



"Entrevistadora": Nossa entrevista de hoje será um pouco diferente. Pela vontade de Alá, que ele possa nos dar a força para a dar para as nossas crianças a mesma educação, para que a próxima geração de crianças seja de verdadeiros muçulmanos, que sabem quem são seus inimigos.

Que a paz esteja contigo

Basmallah: Que as bênçãos de Alá estejam sobre ti.

"Entrevistadora": Qual é o seu nome?

Basmallah: Basmallah.

"Entrevistadora": Quantos anos você tem, Basmallah?

Basmallah: Três anos e meio.

"Entrevistadora": Você é muçulmana?

Basmallah: Sim.

"Entrevistadora": Basmallah, você conhece os judeus? Gosta deles?

Basmallah: Sim. Não.

"Entrevistadora": Por quê?

Basmallah: Porque...

"Entrevistadora": Porque eles são...

Basmallah: ...eles são porcos e macacos.

"Entrevistadora": Eles são porcos e macacos? Quem disse isso?

Basmallah: Nosso Deus.

"Entrevistadora": E onde ele disse isso?

Basmallah: No Corão.


"Entrevistadora": Certo, ele falou sobre eles no Corão.
Basmallah, o que os judeus fazem?
O que eles fazem?

Basmallah: A Pepsi-Cola.

"Entrevistadora": Não (risos). Então você sabe sobre o boicote também?

Basmallah: Sim.

"Entrevistadora": Os judeus amam nosso profeta Maomé?

Basmallah: Não.

"Entrevistadora": O que os judeus fizeram com ele?

Basmallah: Ele matou alguém...

"Entrevistadora": Claro que nosso profeta Maomé é forte e pode matá-los. 
OK, você sabe o que os judeus fizeram com o nosso profeta Maomé?
Há uma história que você conhece...

Basmallah: Sim.

"Entrevistadora": Qual delas?

Basmallah: Sobre uma mulher judia.

"Entrevistadora": O que a mulher judia fez com nosso profeta Maomé?

Basmallah: A mulher judia?

"Entrevistadora": Sim.

Basmallah: Ela convidou o profeta e seus companheiros... quando ele perguntou se ela tinha envenenado a comida, ela disse "sim". Então ele perguntou a ela: "Por que você fez isso?". Ela respondeu: "Se você for mentiroso, você morrerá e Alá não irá te proteger, Mas se você estiver falando a verdade, Ele te protegerá".

"Entrevistadora": E Alá protegeu o profeta, claro.

Basmallah: E ele disse a seus acompanhantes: "Eu vou matar essa mulher".

"Entrevistadora": É claro! Ela botou veneno na comida dele. Esses judeus...


Menina promete um genocídio de judeus no canal da Autoridade Palestina

Exibido no canal oficial da moderada Autoridade Palestina, no dia 22 de outubro de 2000



Nós pedimos que os países fiquem do nosso lado, queremos que eles nos ajudem. Só queremos que eles nos deem armas!
Nós, garotos e garotas, os mataremos (os judeus) por conta própria! Por conta própria!

Assassinaremos todos eles! Atiraremos em todos eles! Apenas nos deem armas!
Os garotos e garotas matarão todos [os judeus]!

Não pouparemos um único judeu! Nãão pouparemos um único judeu aqui!

Professor universitário saudita diz que Alá reune os judeus em Israel para facilitar seu extermínio

Mustafa Muslim, um professor universitário saudita, diz em uma entrevista para o canal al-Majd que os judeus foram  foram reunidos em Israel para facilitar seu extermínio 

Programa exibido no canal al-Majd (Arábia Saudita), no dia 19 de junho de 2005



Os [judeus] se espalharam por todo o mundo. Agora Alá os reune nesta terra (Israel). Ele os traz em grupos de todos os países do mundo para cumprir a lei universal de Alá: "O dia do julgamento não chegará até que os muçulmanos lutem contra os judeus, e a pedra e a árvore digam: Oh muçulmano, oh servo de Alá, há um judeu atrás de mim, venha e mate-o". Sahih Muslim livro 41, 6985 

Se os judeus estivessem espalhados pelo mundo, como poderíamos encontrá-los para combatê-los?

A guerra entre nós e os judeus é uma guerra religiosa. Não é uma guerra sobre um caminho, uma terra ou qualquer coisa do tipo.

Na parte do Corão que foi dada em Meca, antes mesmo dos muçulmanos conhecerem os judeus, cada capítulo revela quem os judeus realmente são, a perversidade deles e o perigo que representam.

Nossa guerra contra eles é uma guerra religiosa e nós devemos armar a nação [islâmica] com a arma da fé. 

Líder da associação de eruditos muçulmanos palestinos no Líbano: o judeu é um satã em forma humana

O xeique Bassam al-Kayed, o presidente da Associação de sábios muçulmanos palestinos no Líbano, é entrevistado no canal al-Aqsa, do Hamas.

Programa exibido no dia 1 de fevereiro de 2012




O judeu é um satã em forma humana.
Alá inflingiu os judeus sobre toda a humanidade e, especialmente, sobre a nação do islã -- incluindo os primeiros profetas e o profeta Maomé.

O judeu é um satã em forma humana.
Quase poderíamos dizer que Jinns (gênios) satânicos têm aulas com eles.

O que eles fazem é muito peculiar, transgride todos os limites.
Eles não atribuem nenhuma santidade a tudo o que é sagrado, a qualquer tratado ou acordo.
Eles violam todas as leis internacionais, todas as normas humanas, e todas as leis islâmicas e leis feitas pelo homem. Eles violam todos os valores.

Eles não são dissuadidos por nada além de força. 

Criança recita poema no canal da Autoridade Palestina: "judeus, as mais demoníacas entre as criações"

Poema recitado no canal oficial da moderada Autoridade Palestina, no dia 3 de julho de 2013



Repórter: Vamos conhecer estas duas meninas que querem recitar um pequeno poema.

Primeira menina: Eu não temo o fuzil porque suas multidões estão iludidas e seus rebanhos ignorantes.

Jerusalém é minha terra, Jerusalém é minha honra.

Oh, vocês que assassinaram os piedosos profetas de Alá.
Oh, vocês que foram trazidos em derramamento de sangue.

Vocês foram condenados a humilhação e ao sofrimento.


Oh, filhos de Sião,
Oh, mais demoníacas entre as criações,
Oh, macacos bárbaros, porcos miseráveis,

Jerusalém não é seu covil, 
Jerusalém se opõe a suas multidões

Jerusalém vomita de dentro de si a sua impureza, 
porque Jerusalém, seus impuros, é santa e imaculada

E Jerusalém, vocês que são imundice, é limpa e pura


Segunda menina: Eu não temo a barbárie,
enquanto meu coração for meu Corão e minha cidade

Enquanto eu tiver meus braços e minhas pedras,

enquanto eu for livre e não barganhar minha causa,

eu não temerei suas multidões, eu não temerei o fuzil

Programa infantil palestino ensina a matar judeus

Programa infantil ("Pioneiros do Amanhã") usa crianças e um homem vestido de abelha para incentivar assassinatos e ensinar como os judeus devem ser mortos.

Programa exibido no dia 2 de maio de 2014, no al-Aqsa TV, canal oficial do governo do Hamas.
  


Abelha: Meu amigo Qays, há judeus aí (em Jenin)?

Qays: Agora não.

Abelha: Ouvi dizer que eles estão por aí todos os dias...

Qays: Sim, mas não estão aqui agora.

Abelha: Ouça, meu amigo. Feche a mão assim (a abelha mostra o punho cerrado)...

Qays: Eles vêm para o campo de refugiados.

Abelha: Bom, na próxima vez que eles vierem, dê um soco neles. Faça o rosto deles virar um tomate.

Qays: Para libertar a Palestina.

Abelha: Se Alá quiser.
Rawan, eu quero que você diga a ele para pegar uma pedra e jogar nos judeus quando eles chegarem.

Rawan: Certo. Se os vizinhos são judeus...

Abelha: Ele deve espancá-los.

Rawan: Se os vizinhos são judeus ou sionistas, não precisa nem dizer.

Rawan: Tulin, por que você quer ser uma policial? Como quem?

Tulin: Meu tio.

Rawan: Quem é seu tio?

Tulin: O nome dele é Ahmed.

Rawan: Ele é policial? O que a polícia faz?

Abelha: Eles prendem bandidos e encrenqueiros.

Rawan: E eles atiram nos judeus, certo?

Tulin: Certo.

Rawan: E você quer ser como ele?

(Tulin balança a cabeça positivamente)

Rawan: Quando você crescer, com a ajuda de Alá.

Tulin: Eu vou atirar nos judeus.

Rawan: Em todos eles?

Tulin: Sim.

Rawan: Bom.

Programa infantil palestino glorifica o terrorismo suicida

Em um "debate" claramente ensaiado, apresentador e crianças de 11 anos glorificam o terrorismo suicida no canal da "moderada" Autoridade Palestina.

Programa exibido no canal oficial da Autoridade Palestina, em junho de 2002




Apresentador: As crianças estão convencidas do ideal de morrer como shahid (mártir).
Você falou da Shahada (martírio) como algo bonito... você realmente acha bonito?

Walla (11 anos): Shahada é algo muito, muito bonito. Todos querem Shahada.
O que pode ser melhor do que ir para o paraíso?

Apresentador: O que é melhor: ter a paz e todos os direitos para o povo palestino ou Shahada?

Walla: Shahada.
Eu vou conquistar todos os meus direitos depois de me tornar um Shahid. Não seremos crianças para sempre.

Apresentador: E você, Yussra, concorda com ela?

Yussra (11 anos): Claro que a Shahada é algo doce. Nós não queremos este mundo, queremos o Paraíso.
Não nos beneficiamos desta vida, mas daquela depois da morte.

Todos os jovens palestinos, diferentemente de outros jovens, têm um temperamento forte. Eles preferem a Shahada, pois são palestinos.

Apresentador: Então, na realidade, você quer a morte?

Yussra: A Shahada não é a morte.

Apresentador: Não, eu me refiro a ausência depois da morte, a ausência física.
Então você gosta da morte?

Yussra: Não, nenhuma criança gosta da morte. As crianças da Palestina adotaram a idéia de que isso é Shahada. Eles acreditam que Shahada é muito bom.
Toda criança palestina,  alguém com 12 anos, por exemplo, diz: "ó Senhor, eu gostaria de me tornar um Shahid".

Apresentador: Temos uma ligação de Sabrine, de Ramallah. 

Sabrine: É verdade que estamos tristes pelos jovens e crianças que morreram, mas ao mesmo tempo estamos alegres porque os Shahids vão para o Paraíso.

Ayyat al-Akhras tinha 17 anos quando ela se explodiu. Uma moça de 17 anos muito consciente.

Apresentador: Sabrine, você é contra ou a favor de tais atos?

Sabrine: Claro que eu sou a favor do ato de explodir, é nosso direito.

Apresentador: Sabrine, mas é normal que Ayyat al-Akhras tenha se explodido?

Sabrine: Claro que sim.  

Site de notícias palestino publica artigo de professor intitulado "Das qualidades dos judeus no Corão"

O site Felesteen publicou um artigo escrito pelo professor Saleh al-Raqub que descreve as qualidades -- ou a falta delas -- dos judeus, baseando-se no Corão e trazendo versículos do livro para comprovar seus argumentos. 

As "qualidades" dos judeus de acordo com o Corão, o site Felesteen e o professor Saleh: 
  1. Os judeus têm o conhecimento da verdade, mas o escondem entre eles e dão maus conselhos aos outros, para que eles possam lucrar.
  2. Os judeus são avarentos.
  3. Os judeus conseguem o dinheiro de outras pessoas injustamente, usando de usura, fraude e enganação.
  4. Os judeus são covardes, se escondendo atrás de cidades fortificadas, construindo muros e vivendo em guetos.
  5. Os judeus insistem em pecar.
  6. Os judeus burlam proibições.
  7. Os judeus são tolos. 


Original:

من صفات اليهود في القرآن الكريم


لليهود صفات ندر أن تجتمع في غيرهم، ولشدة خطرهم أفرد لهم القرآن الكريم مساحة واسعة لم تخصص لغيرهم، ولا حجة لأي مسلم أن ينخدع بيهود رغم كل ما جاء في القرآن الكريم من تحذير منهم، صدَّقه التاريخ والواقع والحس والمشاهدة.


فمن صفات اليهود: 

1- معرفة الحق وكتمانه والتواصي فيما بينهم على ذلك: قال تعالى:(وَإِذَا لَقُوا الَّذِينَ آمَنُوا قَالُوا آمَنَّا وَإِذَا خَلَا بَعْضُهُمْ إِلَى بَعْضٍ قَالُوا أَتُحَدِّثُونَهُمْ بِمَا فَتَحَ اللَّهُ عَلَيْكُمْ لِيُحَاجُّوكُمْ بِهِ عِنْدَ رَبِّكُمْ أَفَلَا تَعْقِلُونَ). البقرة:76



2- البخل الشديد: ويشكو من ذلك كل من خالطهم مباشرة، قال تعالى: (أَمْ لَهُمْ نَصِيبٌ مِنَ الْمُلْكِ فَإِذًا لَا يُؤْتُونَ النَّاسَ نَقِيرًا)النساء:53. والنقير هو نقطة سوداء في أعلى نواة التمرة.



3- الإكثار من أكل أموال الناس بغير حق: من ربا واحتيال وخداع بشتى صوره، واليهود هم سادة العالم في ذلك.. قال تعالى:(وَتَرَى كَثِيرًا مِنْهُمْ يُسَارِعُونَ فِي الْإِثْمِ وَالْعُدْوَانِ وَأَكْلِهِمُ السُّحْتَ لَبِئْسَ مَا كَانُوا يَعْمَلُونَ).المائدة:62. ومن ذلك أيضاً: (يَا أَيُّهَا الَّذِينَ آمَنُوا إِنَّ كَثِيرًا مِنَ الْأَحْبَارِ وَالرُّهْبَانِ لَيَأْكُلُونَ أَمْوَالَ النَّاسِ بِالْبَاطِلِ وَيَصُدُّونَ عَنْ سَبِيلِ اللَّهِ وَالَّذِينَ يَكْنِزُونَ الذَّهَبَ وَالْفِضَّةَ وَلَا يُنْفِقُونَهَا فِي سَبِيلِ اللَّهِ فَبَشِّرْهُمْ بِعَذَابٍ أَلِيمٍ). التوبة:34. ومنه:(وَأَخْذِهِمُ الرِّبَا وَقَدْ نُهُوا عَنْهُ وَأَكْلِهِمْ أَمْوَالَ النَّاسِ بِالْبَاطِلِ وَأَعْتَدْنَا لِلْكَافِرِينَ مِنْهُمْ عَذَابًا أَلِيمًا).النساء:161



4-جبنهم الشديد للحياة: فقد تحملوا الحياة أذلاء في أحياء فقيرة معزولة "الجيتو":(وَلَتَجِدَنَّهُمْ أَحْرَصَ النَّاسِ عَلَى حَيَاةٍ وَمِنَ الَّذِينَ أَشْرَكُوا يَوَدُّ أَحَدُهُمْ لَوْ يُعَمَّرُ أَلْفَ سَنَةٍ وَمَا هُوَ بِمُزَحْزِحِهِ مِنَ الْعَذَابِ أَنْ يُعَمَّرَ وَاللَّهُ بَصِيرٌ بِمَا يَعْمَلُونَ).البقرة:96. فالمهم عند اليهودي أن يحيا حياة أي حياة. وكثيرا ما نقل المجاهدون العرب كيف كان جنود اليهود يربطهم قادتهم بالجنازير داخل دباباتهم كي لا يهربون في حروبهم مع العرب!! لذا:(قَالُوا يَا مُوسَى إِنَّا لَنْ نَدْخُلَهَا أَبَدًا مَا دَامُوا فِيهَا فَاذْهَبْ أَنْتَ وَرَبُّكَ فَقَاتِلَا إِنَّا هَاهُنَا قَاعِدُونَ).المائدة:24. حتى أنهم اخترعوا المستوطنات والقرى العسكرية المحصنة والجدار الفاصل:(لَا يُقَاتِلُونَكُمْ جَمِيعًا إِلَّا فِي قُرًى مُحَصَّنَةٍ أَوْ مِنْ وَرَاءِ جُدُرٍ بَأْسُهُمْ بَيْنَهُمْ شَدِيدٌ تَحْسَبُهُمْ جَمِيعًا وَقُلُوبُهُمْ شَتَّى ذَلِكَ بِأَنَّهُمْ قَوْمٌ لَا يَعْقِلُونَ).الحشر:14.



5- الإصرار على المعاصي: قال تعالى: (لعن الذين كفروا من بني إسرائيل على لسان داود وعيسى بن مريم ذلك بما عصوا وكانوا يعتدون) سورة المائدة. وعن أبي هريرة رضي الله عنه عن النبي صلى الله عليه وسلم قال: "كانت بنو إسرائيل تسوسهم الأنبياء, كلما هلك نبي خلفه نبي, وأنه لا نبي بعدي". رواه البخاري.



6- التحايل على المحرمات: قال تعالى: (ولقد علمتم الذين اعتدوا منكم في السبت فقلنا لهم كونوا قردة خاسئين) سورة البقرة:65. وقال رسول الله صلى الله عليه وسلم: "قاتل الله اليهود حرمت عليهم الشحوم فجملوها فباعوها". متفق عليه.



7- السفاهة: قال تعالى: (سيقول السفهاء من الناس ما ولاّهم عن قبلتهم التي كانوا عليها قل لله المشرق والمغرب يهدي من يشاء إلى صراط مستقيم( سورة البقرة:142. وعن البراء بن عازب, أن رسول الله صلى الله عليه وسلم صلى نحو بيت المقدس ستة عشر أو سبعة عشر شهرا، وكان رسول الله صلى الله عليه وسلم يحب أن يوجه إلى الكعبة، فانزل الله: (قد نرى تقلب وجهك في السماء), فتوجه نحو الكعبة, وقال السفهاء من الناس وهم اليهود: (ما ولاّهم عن قبلتهم التي كانوا عليها قل لله المشرق والمغرب يهدي من يشاء إلى صراط مستقيم) رواه البخاري.

فلسطين أون لاين



Escolas da ONU ensinam anti-semitismo a crianças árabes

Do site oficial das escolas da UNRWA, ensinando sobre "direitos humanos":
Os judeus nos séculos VI e VII viviam em deterioração congênita e degeneração, e promoveram a corrupção social (1981: 39), e a afirmação de que eles são o povo escolhido de Deus demonstra que os judeus nada sabem sobre direitos humanos. 
http://hr.sch.unrwa.ps/human_rights/hr/uploaded_files/1401953954.doc 

ان اليهود في القرنين السادس والسابع عاشوا في تدهور خلقي وانحطاط نفسي وفساد اجتماعي(1981: 39 ) وادعاء أنهم شعب الله المختار كل ذلك يدلل علي أن اليهود لم يكن في سلوكهم شيء يعرف بحقوق الإنسان 

A ONU tentou apagar o anti-semitismo explícito, sem dar nenhuma explicação, e fingir que nada aconteceu. Mas o documento sobre "direitos humanos" que ataca judeus foi guardado aqui e o Google ainda mostra o resultado da busca com o link para o site original, que foi deletado:  


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Discriminação contra negros no Iraque

Reportagem exibida no canal al-Arabiya (Dubai /Arábia Saudita), no dia 6 de fevereiro de 2009:



Narrador: As pessoas ainda os chamam de escravos numa época em que os mais sublimes palácios do mundo ruíram. Seu grande sofrimento inclui muitas formas de opressão do homem por seu semelhante, que o usa como objeto.

Eles foram proibidos de comprar terras e trabalhavam para os feudalistas. Eles formam uma porcentagem considerável da sociedade iraquiana. A maioria vive em Basra ou no sul do Iraque. 

Jalal Diyab (secretário do Movimento Livre dos Iraquianos): Os negros foram - e ainda são - marginalizados e excluídos da sociedade e da política. Os negros ainda são vistos como escravos inferiores. Esta visão tem sido passada por gerações.
Uma pessoa negra é vista como alguém de menor valor, de menor importância, como se fosse um objeto que ninguém considera importante. 
Nem mesmo políticos, escritores e pesquisadores prestam atenção aos negros e aos seus problemas.

Entrevistado: As pessoas me chamam de "escravo" ou de "preto". Não há nenhum respeito, nenhum reconhecimento. 
Quem é responsável por isso? As grandes famílias.

Pegue aquelas crianças como exemplo. Elas te perseguem, gritando: "seu preto" e outras coisas. Não é agradável.

Jornalista: Como os brancos (árabes) se referem a você?

Entrevistado: Eles sempre nos chamam de "escravos".

Jornalista: Ainda fazem isso?

Entrevistado: O mais comum - e eu sempre ouço isso - é quando acontece uma discussão com eles. Eles dizem imediatamente: "vá embora, seu escravo".
Todos somos escravos de Alá. A única coisa que eles sabem dizer é: "vá embora, seu escravo".

Ontem eu cheguei de Bagdá, e quando estava na minha vez de entrar, o motorista disse: "Além de ser preto você ainda está tentando furar a fila".

O que é isso? O seu Deus é branco e o meu é preto? Eu fico surpreso que as pessoas usem estes termos.

Quando o Obama venceu as eleições, começamos a ter esperança de que um dia teríamos um presidente [negro] -- não necessariamente o presidente do país, mas uma autoridade negra em qualquer cargo.

ONU faz campanha para que crianças palestinas limpem escolas da organização usando anti-semitismo islâmico

A UNRWA, órgão da ONU criado exclusivamente para manter os árabes-palestinos, organizou uma campanha para que os alunos das escolas da organização participem da limpeza das instituições de ensino. 
A iniciativa é chamada de المحافظة علي نظافة المدرسة (Mantendo a Limpeza da Escola). 

A campanha, que foi publicada no site oficial da organização, traz uma citação para convencer os alunos a participarem: uma Hadith (parte da tradição oral islâmica) que diz: Você deve limpar seus quintais e não seguir os passos dos judeus - que se mantêm imundos.



المحافظة علي نظافة المدرسة

تم النشر بواسطة: صلاح على الغول | منطقة: شمال رفح
تاريخ النشر: 2014-03-19 07:37:38

النظافة في مفهومها العام تشمل نظافة الجسم والمنزل والمدرسة.وتتمثل في المحافظة على الصف ونظافته ,المحافظة على طاولتك ومقعدك, المحافظة على كتبك المدرسية وعدم إتلافها ,المحافظة على جدران الصف والساحة المدرسية نظيفة  ووضع سلة للقمامة في الفصل لإلقاء المخلفات بها هذا بالتأكيد يؤدي الي تعديل السلوك الطلابي مما ينعكس علي البيئة المدرسية.ويبدي كل من منسق المبادرة وادارة المدرسة والمعلمات والمعلمين أهمية كبيرة في المحافظة علي نظافة المدرسة لأهميته في تعديل سلوك الطلاب والارتقاء بمستوياتهم والارتقاء بمجتمعنا والنظافة هي باب الحضارة .وأيضا لأن اسلامنا يحثنا علي المحافعلي نظافة المدرسة لقول الرسول (صلي الله عليه وسلم ) :"نظفوا أفنيتكم ولا تتشبهوا باليهود" .